Meus Seios

Meus Seios é o nome do livro de poemas que escrevi. Como um travesti de teatro, procuro estar no lugar das mulheres para entender seu mundo.

Mas esse não é o único assunto que me interessa. Às vezes sou um índio imaginário, um operário imaginário, um egípcio imaginário, um chapeiro imaginário, um executivo, uma pedra, um tamanduá, um pirulito, um refresco de tamarindo.

Minha poesia nasce da encenação deste gesto impossível: sair de mim mesmo para encarnar outra coisa, animal, vegetal ou mineral. Falta-me o talento para ser ator, mas utilizo o princípio da atividade em minha lírica teatral de múltiplas personalidades.

Porque há sempre milhares de seres gritando e se debatendo dentro e fora da minha cabeça.

Porque de tempos em tempos, alguns deles precisam sair para que o crânio não estoure e seja possível acreditar que é possível entender o que esse mundo é.

Entender, tolerar, lidar, escrever.

Publicado em Constelação LAERTE - n. Zero | Deixe um comentário

Editorial

“Constelação” é um blogue de informações, conceitos e opiniões combinadas, atraídas umas pelas outras pela força de sua gravidade. Textos curtos e idéias longas. É escrito por uma equipe estelar em um ambiente de gravidade zero. Porque quando não estava sem dinheiro,  com fome ou fugindo dos nazistas, Walter Benjamin era muito risonho.

Veja a nossa estreia no n. ZERO:  Constelação LAERTE!


Publicado em Uncategorized | 1 Comentário